Nutrição equilibrada no cultivo do maracujá

Rosemary M. de Almeida Bertani

Doutora e pesquisadoracientífica da APTA/Polo Regional Centro-Oeste

rosemary.bertani@apta.sp.gov.br

Ivan Herman Fischer

Doutor e pesquisador científico da APTA/Polo Regional Centro-Oeste

Angélica Cristina Fernandes Deus

Caroline de Moura D’Andréa Mateus

Pós-doc em Agronomia/FCA/UNESP

Créditos Shutterstock

Créditos Shutterstock

Diversos autores relatam a interação da nutrição e qualidade dos frutos de maracujazeiro. De maneira geral, o potássio contribui para aumentar o teor de sólidos solúveis dos frutos. Vale ressaltar que a maior intensidade de chuvas no período de formação de frutos pode ocasionar lixiviação do potássio no solo, afetando negativamente a qualidade do fruto.

O cálcio é o elemento mais estudado até o momento, por permitir maior vida útil dos frutos, sendo que a sua ausência pode levar a um acentuado dano na membrana do fruto e medidas simples, como a calagem realizada antes do plantio, pode manter o teor adequado do elemento no fruto até a colheita.

 

Preparo de solo para o plantio do maracujá

Recomenda-se o plantio do maracujazeiro em solos de textura média, profundos e bem drenados. O plantio deve ser feito em nível e manter a cobertura vegetal sempre roçada nas entrelinhas. O calcário deve ser utilizado em área total em duas aplicações, ou seja, metade da dose após a primeira aração e a outra metade após a segunda aração e antes da gradagem final.

Em cultivos orgânicos recomenda-se revolver o mínimo possível o solo.

Créditos Shutterstock

Créditos Shutterstock

Manejo da adubação

De modo geral, são utilizados como fonte nitrogenada: ureia, nitrato de amônio, sulfato de amônio, nitrato de cálcio e potássio. O uso do cloreto de potássio (de preferência o branco, quando for utilizada fertirrigação) é bastante comum, sendo também utilizado em casos específicos o sulfato de potássio e o nitrato de potássio.

As fontes de fósforo comumente utilizadas são superfofato simples e termofosfato e, no caso de fertirrigação, são empregados o ácido fosfórico, que ajuda a limpar a tubulação, os gotejadores e o Mono Amônio Phosfato (MAP).

A maioria dos produtores tem adotado a aplicação de fertilizantes utilizando o próprio sistema de irrigação como condutor e distribuidor de adubos juntamente com a água de irrigação, conhecida como fertirrigação. Não só adubos são aplicados por meio da água de irrigação, mas também inseticidas, fungicidas, herbicidas, reguladores de crescimento são conduzidos e aplicados e a prática, de forma generalizada, passou a ser conhecida como quimigação.

Vantagens e limitações da fertirrigação

A aplicação de fertilizantes via água de irrigação apresenta muitas vantagens em relação ao sistema convencional. Dentre suas vantagens se tem:

  • Melhor aproveitamento do equipamento de irrigação;
  • Economia no custo de aplicação de fertilizantes, pois economiza máquinas e mão de obra;
  • Aplicação dos adubos nas doses e momento exatos exigidos pelas culturas;
  • Maior eficiência no uso da água e dos fertilizantes;
  • Menos compactação do solo e danos físicos às culturas.

Algumas limitações podem ser consideradas:

  • Exige cálculos precisos para quantificar concentrações e doses dos adubos;
  • Necessita de adubos mais puros;
  • Pode promover entupimento do sistema de irrigação, quando utilizado de forma incorreta;
  • Pode levar à salinidade pelo uso excessivo de adubo;
  • Necessita de mudança de mentalidade do produtor.

Cuidados

Na fertirrigação, devem-se utilizar produtos de melhor qualidade, dando preferência aos adubos de alta solubilidade, com pouca impureza e sem qualquer tipo de substância empedrante.

Outra vantagem da fertirrigação é o uso de micronutrientes na forma de sais e quelatos.

Exigências nutricionais

O maracujazeiro apresenta hábito de crescimento contínuo e indeterminado e, notadamente, quando a haste principal atinge o suporte de sustentação, aproximadamente aos 90 dias inicia-se uma sequência de fluxos de vegetação e floração, atingindo o final do ciclo próximo aos 240 dias após o plantio, com máximo acúmulo de matéria seca pela planta.

Com relação às quantidades de nutrientes extraídos pelos frutos do maracujazeiro, observa-se que a ordem de extração é a seguinte: K>N>Ca>P>Mg>S>Fe>Mn>Zn>B>Cu>Mo. Portanto, o maracujazeiro é mais exigente em potássio e nitrogênio.

Recomenda-se o plantio do maracujazeiro em solos de textura média, profundos e bem drenados - Créditos Shutterstock

Recomenda-se o plantio do maracujazeiro em solos de textura média, profundos e bem drenados – Créditos Shutterstock

Calagem

A calagem tem como objetivo a correção da acidez do solo, fornecer cálcio e magnésio, diminuir as concentrações tóxicas de alumínio e manganês, melhorar as propriedades físicas e biológicas do solo, propiciar melhores condições para a decomposição da matéria orgânica, liberando nitrogênio, fósforo, enxofre e boro, como também aumentar a eficiência no aproveitamento dos nutrientes.

A correção da acidez do solo, por meio da calagem, é o primeiro passo para se obter altas produtividades, uma vez que as raízes não se desenvolvem adequadamente em solos muito ácidos.

Um dos métodos para a determinação da quantidade de calcário a ser aplicada em uma área é obtida por meio do método de elevação da saturação por bases, que se fundamenta na correlação positiva existente entre os valores de pH e a saturação por bases.

Essa matéria completa você encontra na edição de maio 2017  da revista Campo & Negócios Hortifrúti. Adquira já a sua para leitura integral.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *