Artigos técnicosFlorestas

Alerta para antracnose em seringueira

I OFICINA DE PROCESSAMENTO DE DADOS PARA AGRICULTURA DE PRECISÃO

Autores

Ana Carolina Firmino
Doutora e professora – UNESP/Campus de Dracena
ana.firmino@unesp.br
Gabriel Leonardi Antonio
Engenheiro agrônomo e mestre em agronomia
gabriel-leonardi@bol.com.br
Gustavo Celin
Graduando em Engenharia Agronômica e iniciação cientifica – UNESP/Campus Dracena
gcelin@hotmail.com

Crédito Miriam Lins

O Brasil é um grande produtor e consumidor de borracha natural. Considerando apenas o Estado de São Paulo, nos últimos cinco anos a área cultivada com seringueira teve um incremento superior a 20 mil hectares, o que corresponde à criação de quase seis mil novos empregos.

Entretanto, alguns fatores são limitantes ao aumento na produtividade da cultura no Brasil, entre os quais estão os problemas fitossanitários, a exemplo dos ocasionados pela antracnose.

A temida antracnose

A antracnose é uma doença causada por fungos do gênero Colletotrichum, considerado economicamente um dos mais importantes gêneros de fitopatógenos no mundo, devido aos elevados danos causados em plantas de diferentes espécies em regiões tropicais, subtropicais e temperadas.

Sabe-se que as espécies de fungos causadores da antracnose já relatados no Brasil pertencem à espécie Colletotrichum gloeosporioides e Colletotrichum acutatum. Existem estudos que apontam a presença de mais espécies Colletotrichum, além dessas associadas a esta doença, o que pode dificultar o seu controle, visto que existe sensibilidade diferenciada (entre espécies) a fungicidas.

Este fungo pode se reproduzir de maneira sexuada e assexuada, sendo esta última a mais comum de se observar no campo e a responsável pela disseminação do patógeno.

A fase assexuada é facilmente encontrada em lesões dos diversos órgãos da planta atacada. Nesta fase é possível a observação de acérvulos, que são estruturas responsáveis pela produção dos conídios do fungo que infectarão a planta.

Essa estrutura pode ser visualizada facilmente com uma lupa de bolso, podendo auxiliar na identificação da doença no campo. Em condições de clima úmido, os acérvulos exsudam uma massa rósea ou salmão, que pode ser vista a olho nu. Essa massa tem como função a proteção do fungo, e é facilmente dissolvida em água, o que facilita a disseminação do fungo pela chuva.

Prejuízos

Diferentes tecidos da seringueira são afetados pela antracnose. Nos pecíolos podem-se observar lesões escuras, necróticas e deprimidas. Em condições de ataque severo, ocorre desfolhamento, morte da gema apical e seca descendente dos ramos.

Este é um conteúdo restrito para assinantes.
Se você é um usuário registrado, por favor, entre no site.

Login de Usuários
   
Etiquetas
Mostrar mais