Sul de Minas é destaque na produção de mandioquinha-salsa

Lavouras brasileiras de mandioquinha-salsa ocupam uma área equivalente a 15 mil hectares e movimentam cerca de R$ 2 bilhões anuais

 

As lavouras brasileiras de mandioquinha-salsa ocupam uma área equivalente a 15 mil hectares e movimentam cerca de R$ 2 bilhões anuais, sendo que as regiões sul e sudeste respondem por quase a totalidade da produção. Minas Gerais lidera o ranking de Estados produtores, com uma produção estimada em mais de 67 mil toneladas somente no ano passado, em uma área que totaliza mais de 04 mil hectares.

O desempenho da mandioquinha-salsa no Sul de Minas é destaque: os munícipios de Ipuiuna e Espírito Santo do Dourado, nas regiões de Guaxupé e Pouso Alegre, respectivamente, são os principais produtores de todo o Estado.

Esses locais, com altitudes superiores a 1.000 metros, reúnem as condições ideais para o cultivo e o desenvolvimento da hortaliça: têm clima ameno o ano inteiro, como ocorre na região andina, centro de origem da mandioquinha.

Também conhecida por batata-baroa, batata-salsa ou batata-aipo, a mandioquinha-salsa, também tem sido produzida no Planalto Central, em locais com altitude superior a 1.000 metros.

Novas variedades de mandioquinha

Recentemente foram lançadas duas novas variedades de mandioquinha-salsa da Embrapa Hortaliças: BRS Rúbia 41 e BRS Catarina 64, que se destacam por apresentar produtividade até 80% maior que a variedade Amarela de Senador Amaral, lançada há duas décadas também pela Embrapa, e que hoje domina 95% da área nacional plantada com essa raiz.

Além de melhorar o desempenho da produção, os pesquisadores pretendem diversificar geneticamente as lavouras, hoje com hegemonia de uma única variedade. “A expectativa é que em três anos as variedades Rúbia e Catarina atinjam 50% da área cultivada hoje na região,” prevê Juary Moreira, responsável técnico pelo escritório local da Emater-MG, em Munhoz, no Sul de Minas.

As duas variedades apresentam características desejadas, como formato cilíndrico, coloração amarela intensa, aroma e sabor característicos. Além do alto potencial produtivo, elas têm maior produção de mudas por plantas.

Mudas certificadas

O pesquisador da Embrapa Hortaliças, Nuno Madeira, ressalta a importância das mudas certificadas para garantir a qualidade. “As novas variedades que estão sendo disponibilizadas têm a garantia de boa procedência e de que foram produzidas de acordo com manejo proposto para mudas, que difere do manejo para produção de raízes”, esclarece.

Por meio de edital de oferta pública, a empresa Eagle Flores, Frutas & Hortaliças Ltda está à frente do processo de produção e comercialização de mudas certificadas de mandioquinha-salsa no Brasil, pela primeira vez em escala comercial. A previsão é que de abril até agosto deste ano sejam comercializadas cerca de quatro milhões de mudas das duas novas variedades.

Essa matéria você encontra na edição de julho da Revista Campo & Negócios Hortifrúti. Adquira o seu exemplar.

Ou assine

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *