Propagação de mudas do abacateiro

Givago Coutinho

Doutor em Fruticultura e professor efetivo do Centro Universitário de Goiatuba (UniCerrado)

givago_agro@hotmail.com

 Crédito Grupo Leópolis

Crédito Grupo Leópolis

O abacateiro (Persea americana Mill.) é originário da América e seu centro de origem é relatado no México e América Central. Fruteira de grande importância na fruticultura brasileira, As variedades de abacateiro são divididas, de acordo com Popenoe (1953), em três raças em relação ao seu local de origem: mexicana, guatemalense e antilhana.

As mudas

Definida a variedade, tem início o processo de formação de mudas, sendo a propagação uma etapa fundamental no sucesso da produção e decisiva na longevidade da cultura no campo e produtividade das plantas.

As mudas do abacateiro podem ser obtidas por sementes ou via enxertia, sendo a enxertia o processo mais utilizado atualmente e que apresenta vantagens como a produção de clones idênticos à planta matriz e redução do período de juvenilidade, ou seja, a produção, nesse caso, é antecipada devido à maturidade das gemas que darão origem à futura copa da planta.

Dessa forma, cuidados na produção de mudas, buscando sempre sanidade e vigor de plantas, são fatores essenciais que favorecem o desenvolvimento da cultura e auxiliam na rentabilidade do abacaticultor.

 

A produção

A produção de mudas é feita principalmente por enxertia do tipo garfagem em fenda cheia. O processo de produção de mudas do abacateiro não varia entre uma cultivar e outra, permanecendo o mesmo. Neste caso, não ocorre alteração significativa no valor do custo de implantação do pomar.

Cuidadosnecessários

As sementes devem ser obtidas de plantas sadias e de frutos com alto grau de maturação. A película que as envolve deve ser retirada e após lavadas devem seguir para secagem à sombra.

As sementes do abacateiro são recalcitrantes, ou seja, seu período de viabilidade é bem mais curto quando comparadas com sementes ortodoxas.Além disso, ocorre rápida oxidação de lipídios nas sementes quando expostas às condições ambientais.Dessa forma, as sementes devem ser imediatamente semeadas após as operações de preparo.

Neste caso, para que as sementes alcancem maior período de longevidade, as mesmas devem ser estratificadas em areia ou armazenadas em sacos plásticos, evitando a redução no teor de umidade das mesmas.

A semente deve ser semeada com a parte basal (base maior) voltada para baixo.Assim, a germinação leva em torno de 30 a 40 dias para ter início.Após a enxertia, deve-se proteger o enxerto com um saco plástico, operação que o protege da dessecação (perda de água por evaporação), mas permite as trocas gasosas com o meio externo.

Cuidados no manejo fitossanitário e nutrição das mudas devem ser observados, pois isto auxilia no maior desenvolvimento das mudas e na redução do tempo de permanência no viveiro.

Porta-enxertos mais usados

As melhores variedades para porta-enxerto são Gottfried (raça mexicana) e Nimlioh (raça guatemalense), sendo que a maturação dos frutos dessas variedades ocorre no período entre fevereiro e abril,

Também são comumente utilizadas as variedades da raça antilhana, conhecida como grupo manteiga. Nesse caso, a maturação dos frutos ocorre de dezembro a fevereiro.

Na escolha do porta-enxerto ideal, o produtor deve se atentar sempre ao tipo de solo e clima do local de implantação do pomar, ou seja, o local do futuro cultivo.Neste caso, para regiões onde ocorre predominância de clima frio, as variedades da raça mexicana ou híbridas desta raça são mais utilizadas devido à sua resistência a baixas temperaturas.

Para regiões de clima quente, são preferidas as variedades da raça antilhana e seus híbridos, devido à maior adaptabilidade a estas regiões.

 A escolha das variedades que irão compor as mudas é essencial - Crédito Shutterstock

A escolha das variedades que irão compor as mudas é essencial – Crédito Shutterstock

Manejo

O processo de produção de mudas por enxertia do tipo garfagem é um processo relativamente fácil e eficiente, principalmente quando se dispõe de porta-enxerto e enxerto com diâmetros diferentes.

A compatibilidade é um fator primordial, que influencia na união entre os tecidos do enxerto e do porta-enxerto e assim na viabilidade da muda formada. Dessa forma, a escolha da variedade que dará origem à nova copa deve receber atenção especial.

De maneira geral, a compatibilidade é melhor alcançada quando enxerto e porta-enxerto pertencem à mesma espécie botânica, como é o caso do abacateiro, ou no máximo entre gêneros diferentes, mas dentro da mesma família botânica, o que pode diminuir o grau de compatibilidade, variando de acordo com o gênero em que a espécie escolhida se encontra.

Na enxertia por garfagem deve-se fazer um corte horizontal no porta-enxerto, no qual se elimina toda a copa do porta-enxerto. Em seguida, faz-se um corte longitudinalno porta-enxerto, medindo entre 02 e 05cm, a fim de se introduzir o enxerto que recebe um corte em forma de cunha na base.

Após a enxertia, as mudas são mantidas por 30 dias no viveiro, e depois devem ser aclimatadas ao sol para posterior plantio no campo. Dessa forma, sofrerão menos com as novas condições a que serão submetidas após a saída do viveiro.

 

Essa matéria completa você encontra na edição de fevereiro 2018  da revista Campo & Negócios Hortifrúti. Adquira já a sua para leitura integral.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *