O cultivo e o mercado da lichia

O Brasil é um mercado potencial para essa fruta exótica, mas sua exploração depende de planejamento e organização comercial.  No início da safra, o quilo da fruta sai por até R$ 50,00 o quilo, para o consumidor final

 

 Crédito Pixabay

Crédito Pixabay

A produção de lichia no Brasil se dá predominantemente no Estado de São Paulo e Minas Gerais, por questões climáticas, e está se iniciando no Nordeste e Sul. É uma planta subtropical de grande porte, com altura de 10 a 15 m, semelhante à mangueira. Apresenta tendência de desenvolver ramos direcionados para o solo.

Segundo Eduardo Vianna Cotrim, engenheiro agrônomo e agricultor, o plantio de lichia é perene. “Para se ter ideia, na China existem pés com mais de 1.000 anos de idade. E com a idade, a produtividade da lichia aumenta. Apenas um pé de lichia chega a produzir 400 quilos em uma safra, tendo ele de 30 a 40 anos”, informa.

A produção se inicia entre o terceiro e quinto anos, para mudas propagadas vegetativamente, e após os dez anos para plantas obtidas por sementes. A inflorescência é em panícula, produzida em ramo do ano e composta por centenas de pequenas flores brancas.

A produção se inicia entre o terceiro e quinto anos - Crédito Paulo KatsuoTsuge

A produção se inicia entre o terceiro e quinto anos – Crédito Paulo KatsuoTsuge

Variedades

As variedades plantadas no Brasil são Bengal, Brewster (frutos e caroços grandes) e Americana (frutos e caroços pequenos).

üBengal: originada a partir de seleção da variedade indiana Purbi. A planta apresenta moderado vigor, frutificação irregular e maturação precoce. Os frutos são cordiformes (em forma de coração), com peso médio de 21 g, coloração vermelho-brilhante, polpa firme e de boa qualidade.

üBrewster: tem origem na província chinesa de Fujian, onde a variedade é chamada de ‘Chen Zi’. A planta é vigorosa, de crescimento ereto, apresenta frutificação irregular e maturação mais precoce que a ‘Bengal’. Os frutos são elípticos, com peso médio de 23 g, coloração vermelho brilhante, polpa macia, de qualidade aceitável. Cerca de 74% de sabor ácido, a menos que esteja bem madura. Semente de tamanho mediano a grande e com 30 a 50% de abortos. Frutos com aspecto bastante semelhante aos da ‘Bengal’, mas não se apresentam em cachos tão compactos.

üAmericana: variedade desenvolvida no Brasil, a partir de sementes selecionadas da variedade ‘No Mai Tszé’ trazidas dos EUA. Apresenta fruto cordiforme, com cerca de 18 g e coloração vermelho-intensa. Cerca de 30 a 50% de sementes são naturalmente abortadas. A produção é de excelente qualidade, entre regular e alternante, com rendimento moderado.

A floração ocorre entre os meses de junho e julho - Crédito Osvaldo Kiyoshi

A floração ocorre entre os meses de junho e julho – Crédito Osvaldo Kiyoshi

O plantio

As mudas de lichieria devem ser obtidas de viveiros fiscalizados. A propagação deve ser vegetativa (alporquia, enxertia, garfagem ou outro método), reduzindo o prazo para o início do ciclo produtivo das plantas. A propagação por sementes é utilizada principalmente no melhoramento genético e na produção de porta-enxertos.

No entanto, é dificultada pela longevidade das sementes que, mal armazenadas, perdem a viabilidade em 24 horas após a extração do fruto. Conservadas úmidas e em baixa temperatura (10ºC a 15ºC), as sementes podem manter a viabilidade por até oito semanas.

A lichia é bastante exigente com relação ao clima, segundo Eduardo Vianna. “Ela se desenvolve bem, mas não produz satisfatoriamente em regiões tropicais, adaptando-se melhor a regiões onde o clima é frio e seco antes do florescimento, e no resto do ano quente e úmido. A precipitação ideal encontra-se entre 1.250 e 1.700 mm anuais. A exigência em água é maior nas plantas novas e naquelas em produção”, aponta.

A floração ocorre entre os meses de junho e julho. Já a colheita acontece em um período muito curto, de meados de dezembro a início de janeiro. A produtividade normal da lichieira é de 30 a 45 kg/planta, e nas condições brasileiras e em cultivos tecnificados são observadas produtividades de 200 a 300 kg/planta por ano.

“Depois de plantada, no primeiro ano a lichia já produz um pouco. Mas a produção de fato acontece a partir do 3º ano, e o pico produtivo a partir do 6º ano.Um pé com seis anos de idade pode produzir de 10 a 20 quilos por planta, sem irrigação. Se houver irrigação esse número cresce ainda mais”, garante o especialista.

Um pé de lichia chega a produzir 400 quilos em uma safra - Crédito Osvaldo Kiyoshi

Um pé de lichia chega a produzir 400 quilos em uma safra – Crédito Osvaldo Kiyoshi

Irrigação

Quando iniciam os botões florais da lichieira, o produtor deve manter a irrigação constante, técnica que auxilia no aumento de produtividade da planta, somado à polinização via insetos, com abelhas, por exemplo.

Pragas e doenças

Doença é algo que a lichia praticamente não enfrenta. O problema real são as pragas, segundo Eduardo Vianna, destacando novamente o ácaro, a broca dos ponteiros e a broca do tronco. “A praga de maior importância para a cultura é o ácaro da lichia, que traz muitos prejuízos. Ela começa a atacar quando há fluxo de seiva na planta, que é quando a planta solta os pendões florais. O ataque acontece de tal forma que prejudica a polinização e o desenvolvimento do fruto, diminuindo a produtividade por planta. Uma planta que poderia produzir 80 quilos, por exemplo, pode cair para um quilo, dependendo do nível de infestação, alerta.

Essa é parte da matéria de capa da revista Campo & Negócios Hortifrúti, edição de novembro 2017. Adquira a sua para leitura completa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *