Fertilizantes organominerais granulados na produção de mudas de espécies florestais

Letícia de Abreu Faria

Professora da Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA) – campus Paragominas

leticiadeabreufaria@gmail.com

Francisco Teixeira Matos Junior

Graduando em Agronomia – UFRA

 

Crédito Luiz Mauro Barbosa

Crédito Luiz Mauro Barbosa

A formação de uma muda saudável depende da germinação da semente, início do desenvolvimento radicular e vegetativo em boas condições. O material adequado para o desenvolvimento das mudas deve fornecer nutrientes, suporte físico e umidade para as cautelosas demandas de início de desenvolvimento da espécie florestal, podendo ser utilizados substratos ou condicionadores de solo.

Os substratos são materiais inertes, que liberam pouco ou nenhum nutriente, normalmente usados para obter maior controle sobre a nutrição das plântulas, como casca de coco, palha de arroz, etc. Os condicionadores de solo, por sua vez, podem ser misturados à terra, substratos e fertilizantes e são caracterizados como produtos de origemorgânica e, sãocapazes de reter umidade e disponibilizar nutrientes às plântulas.

Já o substrato ou condicionador de solo deve ser selecionado de acordo com os propósitos do produtor de mudas.Um material adequado não deve permitir excesso ou falta de umidade, ausência de oxigenação na raiz, elevado índice salino, insuficiência ou teores elevados de nutrientes, entre outros fatores que podem retardar o desenvolvimento, reduzir a qualidade ou até causar a morte das mudas.

O uso de areia ou terra podealterar as qualidades físico-químicas e biológicas do substrato, além de aumentar o peso dos sacos plásticos e o risco de adicionar sementes invasoras e patógenos à área.

Cuidados

Os imponentes portes das espécies florestais no campo não refletem a fragilidade de sua fase inicial. Além disso, diferentemente do que ocorre na natureza, o ambiente de produção promovido pelo homem submete as plantas a condições de pressão e tem como propósito produzir mudas padronizadas, com rapidez, sanidade e economia.

Os organominerais

Dentre as vantagens dos fertilizantes organomineraistêm-se a maior eficiência de uso dos nutrientes devido à redução de perdas e a liberação lenta desses para as plantas, além de veicular carbono orgânico para o solo, melhorando sua fertilidade.

O fertilizante organomineral atrelado à qualidade do substrato ou ao condicionador de solo pode reduzir custos e riscos na produção de mudas. A presença de substâncias húmicas e o baixo índice salino comparado aos fertilizantes convencionais também são diferenciais, pois as substâncias húmicas têm efeitos relacionados ao aumento na absorção de nutrientes.

Além disso, os fertilizantes organominerais sólidos se destacam dos demais por apresentar capacidade de troca catiônica (CTC), que deve ser de no mínimo 80 mmolc/kg; teor de C orgânico, que deve ser de no mínimo de 8%e, no caso de fertilizantes com macronutrientes primários isolados (N, P, K) ou em misturas (NP, NK, PK ou NPK) deverão ter no mínimo 10%, sendo permitida a presença dos macronutrientes secundários ou micronutrientes seguindo as exigências da Instrução Normativa SDA/MAPA 25/2009 de 28/07/2009.

Composto orgânico granulado - Crédito Letícia de Abreu Faria

Composto orgânico granulado – Crédito Letícia de Abreu Faria

Desempenho das mudas

O uso de fertilizantes organominerais na produção de mudas proporciona maior equilíbrio nutricional e, consequentemente, plantas de melhor qualidade, principalmente com o uso de fertilizantes organominerais fosfatados, como observado por Magalhães et al. (2017) em mudas de Eucalyptusurograndis e por Cardoso (2017) na formação de mudas de acácia, eucalipto e mogno africano.

Freire (2017) também obteve vantagem com a produção de mudas de Mimosabimucronatacom fertilizante organomineral, pois verificou que os substratos com organominerais promoveram maior incremento em altura, diâmetro à altura do colo, massa seca da parte aérea, raízes, total e de nódulos secos.

 

Manejo

As recomendações de uso são as mesmas dos fertilizantes minerais, considerando que o fertilizante organomineralé a associação entre um fertilizante mineral e um orgânico. Assim, a localização do produto deve ser logo abaixo e ao lado da semente, pois esses adubos não devem entrar em contato direto com a semente ou com raízes das mudas, principalmente nos casos de fórmulas mais concentradas.

No entanto, sabe-se que se houver contato direto com o fertilizante organomineral, a probabilidade de causar danos às sementes ou às raízes é bem menor que no caso dos fertilizantes convencionais, devido à diluição da porção mineral na matéria orgânica.

Há também que reforçar que o modo de aplicação depende muito da composição química do produto e das recomendações do fabricante. No caso de produto sólido de compostagem, principalmente em organominerais fosfatados, o uso pode ser substituindo o substrato comercial ou misturado a esse, necessitando ou não de complementação de outros nutrientes, podendo ser aplicado via fertilizantes convencionais ou de liberação lenta, e até mesmo outros fertilizantes organominerais.

A complexidade em se recomendar o modo de aplicação se deve à variabilidade que pode ser oferecida na composição destes produtos, sendo sempre de elevada importância o acompanhamento técnico profissional.

Mais eficiência

Os fertilizantes organominerais têm como uma de suas principais características a promoção de maior eficiência de uso dos nutrientes, mas visando ainda maior precisão para sua utilização. Há a preocupação com o balanceamento de nutrientes em sintonia com as demandas da espécie.

Além disso, processos como peletização e granulação podem gerar vantagens aos sistemas produtivos, principalmente quanto à facilidade de manipulação.

 

Essa matéria completa você encontra na edição de julho/agosto de 2018 da Revista Campo & Negócios Floresta. Adquira o seu exemplar para leitura completa.

Ou assine

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *