Como produzir mudas de alface na propriedade

Rosa Honorato de Almeida

Engenheira agrônoma e professora da UFRPE/UAST

honoratorh@gmail.com

 

Crédito Eduardo Miyayaciki

Crédito Eduardo Miyayaciki

Se o produtor não tiver experiência com o processo de produção de mudas de alface e se este ocorrer, concomitantemente, com a produção da cultura em campo, a divisão de atenção entre as duas atividades poderá fazer com que a produção de mudas na fazenda acabe por ficar negligenciada.

A utilização da propriedade para duas atividades poderá fazer com que os problemas de ordem fitossanitária de uma sejam transferidos para a outra. É o caso do uso de sementes e substratos contaminados por patógenos ou insetos-pragas, ou de sementes de plantas invasoras, cujos problemas serão levados também para a área de cultivo, ou vice-versa.

Assim, problemas que porventura ocorram numa etapa do processo de produção poderão ser transferidos para a outra, comprometendo sua sanidade.

 

O que fazer

Para que o plantio tenha sucesso, é necessário que seja utilizada muda de qualidade, respeitando-se a idade de transplantio. Essa muda deve estar bem nutrida, livre de contaminação por patógenos, devendo, ainda, estar isenta de pragas e de sementes e/ou plantas invasoras.

Estes fatores, somados a um sistema radicular bem desenvolvido, garantirão o bom pegamento desta muda em campo e levará, por sua vez, a terem maior tolerância às adversidades.

As bandejas devem ter dimensões que facilitem o adequado crescimento radicular - Crédito Walter Vieira da Cunha

As bandejas devem ter dimensões que facilitem o adequado crescimento radicular – Crédito Walter Vieira da Cunha

Cuidados

A qualidade da muda pode ser garantida pelo uso de sementes de alto poder germinativo, produzidas com substratos de boa qualidade, provenientes de empresa conhecida e idônea, para que estejam isentos de contaminação por patógenos, de pragas ou de sementes de plantas invasoras.

É importante, ainda, que a muda esteja bem nutrida e apresente bom desenvolvimento radicular no momento do transplante.

A muda deve apresentar bom desenvolvimento radicular no transplante - Crédito Péricles de Carvalho

A muda deve apresentar bom desenvolvimento radicular no transplante – Crédito Péricles de Carvalho

A produção

Uma vez escolhida a forma de produção de mudas na fazenda, a semeadura pode ser feita colocando-se duas ou três sementes por cova/célula cerca de 0,5 cm de profundidade. A emergência se iniciará de três a cinco dias, podendo variar de acordo com a região.

Logo que se estabilize a emergência, deverá ser feito o desbaste, deixando-se apenas uma planta por cova/célula para evitar a competição e garantir o bom desenvolvimento da muda até o momento do transplantio.

O substrato deverá conter as características químicas adequadas ao bom suprimento de nutrientes para as mudas, boas características físico-hídricas para garantir a boa aeração, absorção e retenção de água e nutrientes de forma que o excesso de água da irrigação seja facilmente drenado.

Podem ser usados substratos comerciais disponíveis no mercado, mas também podem ser compostos a partir de materiais disponíveis na fazenda, como húmus de minhoca, estercos bem curtidos e compostos orgânicos, tomando-se o cuidado de utilizar fontes orgânicas (fonte de nutrientes) livres de patógenos, adicionadas de materiais que favoreçam a retenção e absorção de água, mas também com boa drenagem.

No caso do uso de bandejas, as mesmas devem ser mantidas em bancadas distantes do solo, no mínimo 30 cm, em ambiente protegido por tela de sombreamento para reduzir a incidência direta da temperatura e da luz sobre as mudas, que se encontram muito frágeis neste início de desenvolvimento.

As bandejas devem ter dimensões que facilitem o adequado crescimento radicular e, por consequência, o adequado desenvolvimento final das mudas.

Crédito Péricles de Carvalho

Crédito Péricles de Carvalho

Irrigação

No item irrigação, em algumas regiões, é comum que nos períodos mais secos a água atinja níveis de sal tóxico para a muda de alface, e por isso é importante verificar se os níveis estão dentro daqueles tolerados pela cultura.

Outro aspecto diz respeito ao número de regas, normalmente duas vezes por dia, sempre nos horários de temperatura mais amena. Como as mudas são muito sensíveis, não toleram insolação direta nem podem ser submetidas a altas temperaturas, e por isso precisam estar abrigadas do calor e do excesso de radiação.

Este abrigo pode uma estrutura coberta com tela de sombreamento, onde as mudas deverão estar sobre bancadas vazadas, feitas de madeira para facilitar o bom escoamento do excesso de água de irrigação e o bom desenvolvimento do sistema radicular da muda.

As mudas devem ser irrigadas com água de qualidade até duas vezes por dia, nos dias mais quentes da estação. A irrigação normalmente é feita por microaspersão, contudo, pode-se utilizar irrigação manual, em pequenas áreas de produção, usando regadores, desde que tenham crivos finos para promover boa distribuição das gotas.

 

Essa matéria completa você encontra na edição de julho de 2018 da Revista Campo & Negócios Hortifrúti. Adquira o seu exemplar para leitura completa.

Ou assine

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *