Cebola híbrida garante oferta o ano todo

Maria Beatriz Pereira da Silva

Graduanda em Agronomia pela UFLA e membro do Núcleo de Estudos em Genética e Melhoramento de Plantas (GEN)

mariabeatriz12@gmail.com

Nathalia Campos Vilela Resende

Graduanda em Agronomia pela UFLA, membro do GEN e do grupo PET- Agronomia UFLA

nathcvr@gmail.com

 

Créditos Shutterstock

Créditos Shutterstock

O plantio de cebola híbrida apresenta melhor conservação pós-colheita em relação às variedades, o que permite ao produtor armazenar o produto sem perder a qualidade, oferecendo a possibilidade de inserir a produção no mercado em épocas de melhores preços e garantindo a produção o ano todo.

O cultivo de cebolas híbridas tem se expandido de forma substancial em todo o território brasileiro.Tal fato se deve às vantagens e alta produtividade das cultivares híbridas. Atualmente, existem diversos híbridos de cebola, cada qual com suas respectivas características e consequente adaptabilidade a diferentes regiões do País.

Um a um

Os híbridos foram desenvolvidos para regiões específicas do País, o que aumenta a área de produção em todo o Brasil. Em comparação com a cebola convencional, não possui tamanha adaptabilidade a diferentes regiões, e por esse motivo seu cultivo se restringe às regiões sul do País, as quais atendem as necessidades do fotoperíodo das cultivares convencionais.

 Dentre as características mais apreciadas pelos consumidores estão as melhorias relacionadas ao pós-colheita. Mediante isso, pode-se destacar a durabilidades destes híbridos após a colheita, podendo chegar a até seis meses de armazenamento sem que haja comprometimento na qualidade.

Em contrapartida, as cultivares convencionais apresentam um tempo de prateleira restrito de uma três meses, variando de cultivar para cultivar. Além disso, destaca-se o sabor menos pungente de alguns híbridos, a uniformidade do bulbo em geral e a casca mais firme, a qual impede a deterioração do bulbo.

Tais características atraem e, portanto, atendem as exigências dos consumidores, os quais preferem bulbos maiores, com menor pungência (ardência) e de alta qualidade.

 

Vantagens

Atualmente, o Brasil ainda importa grande quantidade de cebola, sendo a Argentina o principal exportador, uma vez que em determinados meses do ano não se tem produção suficiente por aqui, devido às influências climáticas e exigências em fotoperíodo das cultivares de cebola.

Com o advento do uso de sementes híbridas, tal problema tem diminuído, visto que as cultivares híbridas são adaptadas às variações de clima, temperatura e umidade, o que permite variar a época de semeio a fim de abastecer o mercado nacional o ano todo.

Além disso, as cultivares híbridas possuem melhor qualidade de pós-colheita relacionada ao armazenamento, o que possibilita armazenar os bulbos em épocas nas quais se tem queda de preço para posterior venda quando o mercado estiver favorável. Tal fato permite que o produtor controle o período de comercialização e, de certa forma, o seu ganho, aumentando a lucratividade do negócio.

Outra vantagem da durabilidade da produção está na diminuição das perdas de bulbos após a colheita, o que aumenta, consequentemente, o retorno de produção. Com as cultivares híbridas precoces o produtor tem a possibilidade de ter mais safras ao ano, aumentando a produção e, consequentemente, o retorno econômico.

Créditos Shutterstock

Créditos Shutterstock

Como fazer a escolha certa

A utilização de cebolas híbridas traz vantagens aos produtores e ao mesmo tempo atende as exigências dos consumidores. Para os produtores, as cultivares híbridas de cebola garantem maior estande, sanidade, produtividade e flexibilidade no cronograma de plantio e colheita, enquanto para os consumidores garante bulbos de qualidade disponíveis durante todo o ano nas gôndolas dos mercados, amenizando o efeito que a sazonalidade de produção acarreta nos preços, além de proporcionar maior conservação pós-colheita.

Para a escolha do híbrido ideal, os critérios se baseiam em: produção com alta qualidade de bulbo e pele, excelente conservação pós-colheita, maior produtividade, formato uniforme e maiores possibilidades no planejamento de plantio e colheita por meio de ciclos fenológicos diferentes, além de resistência a doenças e adaptabilidade dos materiais às diferentes condições climáticas.

 

Manejo

O manejo de cebolas híbridas varia de acordo com o material cultivado. Em geral, sementes híbridas dão origem a plantas de alto desempenho que apresentam maiores exigências nutricionais e hídricas. Para explorar o potencial que as cultivares híbridas proporcionam, os produtores devem se preocupar com o manejo de adubação, irrigação e controle de pragas e doenças.

Outro fator que deve ser levado em consideração é o ciclo fenológico do material, que varia de híbrido para híbrido e determina a época de plantio e colheita. A orientação de um técnico facilita e aumenta os acertos nas tomadas de decisões.

Com o bom manejo consolidado, a utilização de variedades híbridas possibilita ampliar a janela de plantio e colheita e, desta forma, aumentar a produtividade que tanto interessa ao produtor e o ganho em qualidade, que é de fundamental importância para o consumidor.

Essa matéria você encontra na edição de maio 2017  da revista Campo & Negócios Hortifrúti. Adquira já a sua.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *