Alta tecnologia em irrigação pode aumentar em até 10 vezes a produção brasileira

 

O Brasil tem potencial para expandir as terras irrigadas em até 61 milhões de hectares, o equivalente a 10 vezes o tamanho atual

 

Crédito Marcelo Linhares

Crédito Marcelo Linhares

Em 2016, o Ministério da Agricultura (MAPA) anunciou o Plano para Expansão, Aprimoramento e Desenvolvimento Sustentável da Agricultura Irrigada no Brasil. O projeto visa aumentar a área irrigada do País de 6,1 milhões para 11,2 milhões de hectares, uma expansão de cinco milhões de hectares em 10 anos. As informações foram divulgadas pela Associação dos Irrigantes do Estado de Goiás (Irrigo).

O Plano tem como objetivo usar a água de forma racional, minimizar perdas agrícolas por causa de problemas climáticos, aumentar a produtividade de 3,4 para quatro toneladas por hectare e gerar até 7,5 milhões de empregos diretos e indiretos.

Do ponto de vista ambiental, o projeto busca diminuir a pressão sobre a abertura de novas áreas de produção e incentivar investimentos em tecnologias que tornem a produção mais sustentável.

Etapas

O Plano de Irrigação foi dividido em duas as etapas. A primeira prevê que até 2019 a área irrigada no País seja ampliada em 1,5 milhão de hectares; a implantação de três centros de referência em agricultura irrigada; capacitação de 20 mil produtores e técnicos; implementação do Cadastro Nacional de Irrigantes; e a implantação de 50 unidades demonstrativas.

Segundo a engenheira agrícola Maria Emília Borges, da Coordenação de Agricultura Irrigada e Gestão Sustentável da Água, em 2016 foram capacitados cerca de 1.400 produtores e técnicos, por meio da Capacitação IrrigaWeb, uma parceria do MAPA com a Embrapa Produtos e Mercado. “Infelizmente, em função das mudanças políticas que ocorreram no País no último ano, não avançamos tanto como pretendíamos, seja por razões políticas, ou seja, devido à indisponibilidade de recursos para dar o devido andamento, mas nossa intenção é de que neste ano possamos dar celeridade às ações do Plano de Irrigação”, diz.

De acordo com a Irrigo, ainda que com atrasos, o Plano mantém o cronograma de atividades, que na segunda etapa, de 2020 a 2024, prevê que a área irrigada chegue a 3,5 milhões de hectares; a implantação de 50 unidades demonstrativas; e que outros 35 mil produtores e técnicos sejam capacitados.

A área irrigada no Brasil é de 6,1 milhões - Crédito ANA

A área irrigada no Brasil é de 6,1 milhões – Crédito ANA

Investimentos

Um levantamento daAgência Nacional de Águas (ANA) aponta que os maiores incrementos verificados no setor de irrigação aconteceram a partir da década de 1980, e estão diretamente relacionados com programas criados nesse período pelo governo federal: Procional para Aproveitamento Racional de Varzéas Irrigáveis – Provárzeas (1981), Programa de Financiamento de Equipamentos de Irrigação – Profir (1982), Programa Nacional de Irrigação – Proni (1986) e Programa de Irrigação do Nordeste – Proine (1986).

Para a engenheira agrícola Maria Emília Borges, a ampliação da área irrigada no País se dá, basicamente, devido à oferta de linhas de crédito, específicas ou não, que incentivem o produtor a investir em irrigação, ampliando ou aprimorando sua área irrigada. “Desta forma, todos os anos, no momento da elaboração do Plano Agrícola e Pecuário (chamado Plano Safra), nós propomos e discutimos junto com a Secretaria de Política Agrícola (SPA) do MAPA melhores condições de crédito para a agricultura irrigada, taxas de juros mais baixas, prazos mais adequados, regiões que devam ter benefícios diferenciados, entre outras condições. Assim, de acordo com as possibilidades do País, o Plano Safra é elaborado”, diz.

Para a safra 2016/17, a linha específica oferecida foi oModerinfra, com taxa efetiva de juros de 8,5% a.a. e prazo de reembolso de até 12 anos, incluídos até três anos de carência.

 Irrigação por pivô em lavoura de café - Crédito Marcos Pimenta

Irrigação por pivô em lavoura de café – Crédito Marcos Pimenta

Terras irrigadas

Segundo pesquisa do Ministério da Integração, o Brasil tem potencial paraexpandir as terras irrigadas em até 61 milhões de hectares – o equivalente a 10 vezes o tamanho atual. A conclusão é do estudo “Análise Territorial para o Desenvolvimento da Agricultura Irrigada”, elaborado pelo Ministério da Integração Nacional em parceria com a Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq/USP) e o Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA).

De acordo com a assessoria de imprensa do Ministério da Integração, o estudo considerou as áreas já irrigadas e aquelas com potencial para expansão por meio da combinação de variáveis como aptidão agrícola, disponibilidade hídrica, preservação ambiental einfraestrutura existentes.

Também levou em conta as características socioeconômicas do meio rural no País, obtidas de fontes oficiais nacionais e organizadas nos mais de 50 mapas temáticos que compuseram o estudo. Segundo o estudo, o Brasil tem grande potencial para expandir sua área irrigada, especialmente na região centro-oeste. Porém, o que ditará o ritmo da expansão é a demanda interna e externa pela produção de alimentos e matérias-primas, que poderão dar ao Brasil a oportunidade de consolidar e ampliar a importância como fornecedor de alimentos para o mundo.

Conforme dados do estudo, da área irrigada atualmente, 37% (2,2Mha) não conta com a possibilidade de expansão pelo esgotamento da água disponível em suas bacias. Outros 44% (2,7M ha) da irrigação estão em regiões em que há importante possibilidade de expansão, mas fora de áreas de prioridade de intervenção pública.

As áreas em que há possibilidade de expansão e justificam intervenção pública mais expressiva visando o desenvolvimento sustentável regional representam 19% da área irrigada (1,1M ha) e contêm 36% da capacidade adicional de área irrigável (27Mha).

Essa é parte da matéria de capa da revista Campo & Negócios Grãos, edição de outubro 2017. Adquira a sua para leitura completa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *