Alface para todas as épocas

Marla Sílvia Diamante

marlasdiamante@gmail.com

Natália de Brito Lima Lanna

Doutorandas do Programa de Pós-Graduação em Agronomia/Horticultura – UNESP/Botucatu (SP)

Marília Caixeta Sousa

Mestre em Agronomia/Horticultura e doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Ciências Biológicas – UNESP/Botucatu

Vinícius Ribeiro Arantes

Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Agronomia/Agricultura – UNESP/Botucatu

Crédito Eduardo Miyayaciki

Crédito Eduardo Miyayaciki

A alface, entre as hortaliças folhosas, é a mais consumida no mundo, fato relacionado ao seu sabor suave e agradável, bem como à praticidade em seu preparo nas refeições (principalmente na forma de saladas), seu baixo teor de calorias e alto teor de vitaminas e sais minerais. Esta hortaliça é originária do Sul da Europa e da Ásia Ocidental, regiões de clima temperado, e foi trazida ao Brasil em 1650, com a vinda dos portugueses.

Atualmente, a produção de alface é realizada em todo o País, no entanto, seu cultivo apresenta limitações, especialmente em razão de sua sensibilidade a condições adversas de temperatura, sendo geralmente mais adaptada a locais de temperaturas amenas, tendo melhor produção em épocas mais frias do ano. O ciclo pode variar entre 60 a 90 dias, desde a semeadura até a colheita, podendo ser influenciado pela cultivar escolhida e a época de plantio.

Obstáculos

A especialização crescente do cultivo de alface vem provocando a expansão da escala produtiva dessa folhosa. Espera-se que o produtor garanta boa qualidade, diversidade e regularidade de produção, especialmente no verão, quando a demanda por esse produto é maior.

Condições climáticas são as principais causas de perdas para os agricultores. As chuvas e alta umidade relativa do ar e do solo proporcionam um ambiente propício à proliferação de bactérias e fungos, que podem causar queda na qualidade e produção da alface, assim como as temperaturas elevadas também podem prejudicar o cultivo.

Crédito Shutterstock

Crédito Shutterstock

Fique de olho

A cultura se desenvolve melhor no período do frio, mas não suporta a geada, sendo possível ser plantada durante o ano todo. Para se obter qualidade e regularidade na produção dessa hortaliça, é necessária atenção especial na escolha de cultivares adaptadas e técnicas de manejo adequado, visto que variações climáticas, como as altas temperaturas e fotoperíodo longo, afetam o desenvolvimento das plantas.

A cultura é mais problemática no período do verão, quando ocorrem mais intensamente problemas de pendoamento e podridão.

Quando plantar

Esta hortaliça tem maior produção nas épocas mais frias do ano, por ser uma cultura originária de clima temperado (em condições de campo). Considerando a qualidade como fator importante na comercialização, para produção de cabeças e folhas ditas saudáveis e adequadas para o mercado, a melhor condição de cultivo é necessariamente dias curtos com temperaturas amenas, que favorecem a fase vegetativa.

Seu florescimento ocorre sob dias longos e altas temperaturas, dando início à época reprodutiva, emitindo seu pendão floral.

 A variação ótima de temperatura para o seu desenvolvimento está em torno de 12 a 22°C, podendo atingir 18 a 25°C durante o dia, e 10 a 15°C durante a noite. Temperaturas acima de 22°C aceleram o ciclo, favorecendo a precocidade no mesmo, conferindo sabor amargo em função do acúmulo de látex nas folhas, provocando ainda o alongamento do caule, redução do número de folhas e afetando a formação da cabeça comercial, tornando estas hortaliças impróprias para o consumo e comercialização, resultando na colheita de plantas de pequeno porte, com menor peso, menor número de folhas e baixa qualidade.

 

Atualmente, o cultivo de alface pode ser realizado em todas as regiões brasileiras - Crédito Shutterstock

Atualmente, o cultivo de alface pode ser realizado em todas as regiões brasileiras – Crédito Shutterstock

Adaptação

Apesar da intensidade de luz afetar diretamente o crescimento e desenvolvimento da alface, esta é uma planta que não possui complicações na adaptação às condições de pouca luminosidade.

Esses pontos a favor da cultura podem ser explorados com o uso de telas, no intuito de reduzir a incidência direta dos raios solares, e com um manejo adequado o rendimento comercial torna-se maior.

A utilização de ambientes protegidos (telados, casa de vegetação e hidroponia) podem ainda atuar na redução dos efeitos nocivos das baixas temperaturas, no controle da quantidade de água sobre a cultura, na proteção das plantas da ação dos ventos e das chuvas de grande intensidade, como também do granizo.

Essas estruturas permitem o cultivo da alface em épocas que normalmente não são indicadas para a produção a campo, tornando possível a comercialização o ano todo.

 

Essa matéria completa você encontra na edição de Agosto 2017  da revista Campo & Negócios Hortifrúti. Adquira já a sua para leitura integral.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *