Agricultura de precisão otimiza as etapas produtivas

Andressa Laís Caldeira de Souza

Graduanda em Engenharia Agronômica – Universidade Federal de São João Del-Rei e coordenadora de Ensino do Grupo de Estudo em Mecanização e Agricultura de Precisão (G-MAP)

gmap@ufsj.edu.br

Gabriel Cardoso Azevedo Amaral

Graduando em Engenharia Agronômica – UniversidadeFederal de São João Del-Rei e assistente de Coordenação de Ensino do G-MAP

 

O tratamento diferenciado de cada área é a aplicação do conceito de Agricultura de Precisão - Crédito Shutterstock

O tratamento diferenciado de cada área é a aplicação do conceito de Agricultura de Precisão – Crédito Shutterstock

A agricultura de precisão visa o gerenciamento mais detalhado do sistema de produção agrícola como um todo, não somente das aplicações de insumos ou de mapeamentos diversos, mas de todo os processos envolvidos na produção.

Esse conjunto de ferramentas para a agricultura pode fazer uso do GNSS (Global NavigationSatelite System), do SIG (Sistema de Informações Geográficas), de instrumentos e de sensores para medidas ou detecção de parâmetros ou de alvos de interesse no agroecossistema (solo, planta, insetos e doenças), de geoestatística e da mecatrônica.

Porém, a agricultura de precisão não está relacionada somente ao uso de ferramentas de alta tecnologia, pois os seus fundamentos podem ser empregados no dia-a-dia das propriedades pela maior organização e controle das atividades, dos gastos e produtividade em cada área.

Em cada etapa

O emprego da diferenciação já ocorre na divisão e localização das lavouras dentro das propriedades, na divisão dos talhões ou piquetes, ou simplesmente na identificação de “manchas” que diferem do padrão geral. A partir dessa divisão, o tratamento diferenciado de cada área é a aplicação do conceito de Agricultura de Precisão(Embrapa,DF-2014).

A agricultura de precisão engloba tecnologias que podem ser utilizadas em todo a cadeia produtiva, desde operações como o manejo do solo,semeadura,aplicações de insumos,controle de pragas e doenças a análises de produtividade e lucratividade.

Os investimentos necessários são variáveis de acordo com a condição,necessidade e objetivo do produtor. Partem da obtenção de sistemas operacionais, softwares, aparelhos GPS, drones e máquinas agrícolas adaptadas ao sistema de precisão, em especial as que fazem aplicação em taxas variáveis.

Crédito Shutterstock

Crédito Shutterstock

Vantagens

A agricultura de precisão dispõe de tecnologias que possibilitam ao produtor acompanhar toda a cadeia produtiva,dando a ele um melhor conhecimento do campo de produção e permitindo,desta forma, a realização de uma gestão mais efetiva.

Além disso,a agricultura de precisão,quando utilizada de forma efetiva,otimiza o potencial produtivo,favorece a aplicação racional de insumos,reduz os custos de produção e os impactos ambientais.

Suas vantagens se estendem para os pequenos, médios e grandesprodutores, uma vez que este sistema não está ligado apenas às ferramentas de alta tecnologia,mas a técnicas que visam uma maior organização, controle das atividades, dos gastos e oconhecimento da produtividade específica de cada área.

Ainda, os agricultores que adotam esta técnica têm a vantagem de conhecer o comportamento desuas áreas de forma individualizada, e dentro das áreas as subáreas. Ao se fazer um mapeamentodetalhado de determinada área, avaliando o solo, o clima, infestação de pragas e doenças eoutras variáveis que influenciam no rendimento do cultivo, é possível fazerum diagnóstico das necessidades específicas e determinar as melhores alternativas.

Istopermitirá corrigir as deficiências de forma a uniformizar as condições de produção, ou mesmotomar a decisão de investir em uma determinada área e mudar a atividade da outra.

Realidade brasileira

Hoje, de forma genérica, a AP está espalhada em diversas regiões, mas de forma maisincisiva nas regiões sul, sudeste e centro-oeste. As culturas que tiveram uma aplicação mais direta foram soja e milho. Em seguida, outrasganharam destaque, como trigo, feijão, algodão, café e cana-de-açúcar. Hoje, a fruticulturatambém tem adotado a AP.

Uma das maiores dificuldades para a implantação da AP é ter pessoas treinadas parainterpretar, gerenciar e conduzir tal técnica. Adquirir os equipamentos, por si só, não representamuito se não souber operar e interpretar as informações e/ou mapas gerados.

Uma outradificuldade é que os custos dos equipamentos, apesar de terem reduzido bastante, ainda têm umvalor significante, que impede a aquisição pelo produtor de menor renda. Outra questão é quantoà indústria de equipamentos. Há a necessidade de equipamentos para aplicação a taxas variadas.

Para solucionar estas questões, instituições de pesquisa, ensino e iniciativa privada têmproposto treinamentos, apresentado novas técnicas e tecnologias e equipamentos de grande,médio e pequeno porte para os diferentes segmentos de produtores.

 

Essa matéria completa você encontra na edição de março 2018 da revista Campo & Negócios Grãos. Adquira já a sua para leitura integral.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *